Encontro na Grécia marca profícuo diálogo entre ortodoxos

O Patriarca Mor Ignatius Aphrem II, da Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia (ISOA) foi à Grécia, no início de novembro, para sua primeira visita oficial à Igreja da Grécia, acompanhado de Suas Eminências Mor Selwanos Boutros Al-Nemeh, Mor Athanasius Touma Dakkama, Mor Clemis Daniel Kourieh, e do Raban Joseph Bali, Secretário Patriarcal e Diretor do Escritório de Mídia.
A delegação patriarcal dirigiu-se diretamente ao Santo Arcebispado de Atenas, onde Sua Santidade se reuniu pela primeira vez com Sua Beatitude Dom Ieronymos II, Arcebispo de Atenas e toda a Grécia, na presença de diversos Arcebispos da Igreja da Grécia. Em seu discurso de boas-vindas, Dom Ieronymos II recebeu calorosamente o Patriarca Mor Ignatius Aphrem II e a delegação acompanhante. Ele falou sobre a história da relação entre as duas Igrejas e sobre os desafios que ambas enfrentam, especialmente com relação a manter a fé e a identidade ortodoxas, enfatizando que a unidade é a única maneira de enfrentar esses desafios.
Dom Ieronymos ressaltou que “os meios de comunicação e a cooperação disponíveis nos dias de hoje nos dão a oportunidade de conhecer mais uns aos outros, especialmente nestes tempos difíceis”, afirmando ainda que “a grande arma no coração dos cristãos é orar juntos e uns pelos outros e, acima de tudo, cooperar e unir-se diante dos muitos desafios atuais e comuns que enfrentam”. O Patriarca Mor Ignatius Aphren expressou grande alegria espiritual ao encontrar Sua Beatitude em Atenas, pela primeira vez desde sua entronização em maio de 2014. O Patriarca afirmou que o objetivo desta reunião foi “compartilhar com nossos queridos irmãos e Irmãs as Boas Novas, e dar testemunho a todo o mundo de nosso trabalho fiel e sério para a plena comunhão entre as nossas duas Igrejas”.
Mor Ignatius acrescentou: “Nós sabemos, Vossa Beatitude, que compartilhamos a mesma visão da Igreja de Deus como uma só Noiva de nosso Senhor Jesus Cristo (cf. Ef 5:27), e um só rebanho (cf. Jo 10, 16). 21:15) do Bom Pastor e Seu Único Corpo Santo (cf. Rm 12: 5; 1 Coríntios 12:27; Cl 1:18; Ef 1:23) ”. Ele expressou seu “forte desejo e prontidão em buscar novos caminhos que aproximem ainda mais nossas igrejas, abrindo o caminho para o mundo ortodoxo, para estabelecer a plena comunhão”. O Patriarca disse: “Nós acreditamos que este passo será um avanço para a unidade completa da Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica”. Ieronymos apontou para o caso dos dois arcebispos raptados de Aleppo, Boulos Yaziji e Mor Gregorius Youhanna Ibrahim; ele observou que “a inação dos superpoderes e da comunidade internacional em relação a essa questão humanitária está nos incomodando muito”.
O Patriarca concluiu pedindo a Jesus que “nos conceda provar a Sua bondade e celebrar a nossa pertença à Sua única Igreja unificada em torno da mesma mesa eucarística”. No final, Sua Santidade e Sua Beatitude trocaram presentes como sinais de amor e respeito mútuos.
Anúncios